Busque pelo nome do produto ou marca
Busque pelo nome do produto ou marca

Dipirona

Mostrando 36 itens de 66

  1. 1
  2. 2

Indicar Direção Descendente

Mostrando 36 itens de 66

  1. 1
  2. 2

Indicar Direção Descendente

A Dipirona é, com certeza, um dos medicamentos essenciais em qualquer bolsa de remédios. O analgésico e antitérmico é um dos remédios mais consumidos pelo brasileiro por proporcionar uma sensação de alívio rápida aos principais sintomas da gripe, resfriados e outras viroses.

Seu uso apresenta poucas contraindicações, mas é preciso sempre estar atento às restrições aos componentes da dipirona para evitar complicações e, claro, consultar um médico ou profissional da saúde qualificado para orientar o uso.

Dipirona Monoidratada

A Dipirona Monoidratada é indicada para o alívio de dores e da febre, sintomas muitos comuns, geralmente associados a diversas doenças. Após ministrada, seus efeitos são esperados de 30 a 60 minutos após a ingestão e o tempo de duração de seu efeito persiste por aproximadamente 4 horas.

Como qualquer outro analgésico, a Dipirona não deve ser consumida em altas doses por longos períodos sem o controle de um médico. Em um primeiro momento, a dose e a via de administração do medicamento, seja ela oral, na forma de comprimidos ou líquida, seja retal ou seja injetável, dependem das condições do paciente e do efeito analgésico esperado.

O tratamento pode ser interrompido a qualquer momento sem causar danos ao paciente. Para as doses recomendadas, não existem efeitos adversos reconhecidos no que diz respeito à capacidade de se concentrar e de reagir.

Dipirona Sódica

A Dipirona Sódica é igual a Dipirona Monoidratada, a nomenclatura usada é determinação da Anvisa. Sua administração em pacientes idosos é liberada, desde que sejam observadas as funções do fígado e dos rins. Para as crianças menores de 3 meses ou com peso inferior a 5 kg, o tratamento com Dipirona não deve ser feito.

O remédio é contraindicado caso o paciente apresente alergia ou intolerância à Dipirona ou a qualquer um dos componentes da fórmula, caso a função da medula óssea esteja prejudicada ou em casos de doenças nas células sanguíneas.

Dipirona: bula

Para uma maior garantia de eficiência no tratamento com a Dipirona, é importante que o paciente consulte um médico e que leia atentamente a bula. Em caso de sintomas adversos após a ingestão do medicamento a recomendação é interromper o uso imediatamente e se dirigir ao hospital mais próximo.

Os medicamentos genéricos contêm os mesmos princípios ativos e a mesma forma farmacêutica e, por isso, sua ingestão também deve seguir as recomendações médicas e as indicações da bula.

Grávida pode tomar Dipirona?

Durante a gravidez recomenda-se não utilizar a Dipirona durante os três primeiros meses de gestação. Já no segundo trimestre da gravidez, os riscos da ingestão do remédio devem ser medidos por um médico que irá avaliar o potencial custo-benefício da administração da Dipirona.

Nos últimos três meses de gestação, a Dipirona é novamente contraindicada, já que, apesar de pouco provável, o remédio abre a possibilidade de fechamento prematuro do ducto arterial e de complicações perinatais causadas pelo prejuízo na hora de agregar plaquetas da mãe ao recém-nascido